05 Aprendizados da Quarentena

Quarentena como lidar?
Quarentena como lidar?

Quarentena, como lidar? Desde o  dia 11 de março de 2020, foi anunciado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a pandemia causada pelo coronavírus. Particularmente, pensei que apenas seria por um curto período de tempo, porém a quarentena ainda continua.

E a pergunta que eu mais ouço ultimamente é: como você está lidando com a quarentena? Por esse motivo resolvi compartilhar quais os meus aprendizados da minha quarentena.

No meio de todo esse caos, quem já trabalhava em homeoffice levou vantagem. Confesso que não senti muito o impacto, pois trabalhar em casa já fazia parte da minha rotina. Mas vamos combinar que homeoffice é muito diferente de isolamento social. Consequentemente, aprender a lidar com essa nova realidade não está sendo uma tarefa fácil.

Conciliar a rotina comercial e vida pessoal está sendo um exercício diário para não deixar nem o trabalho te consumir e nem a preguiça te dominar. Enfim, precisamos pensar em novas formas de nos manter ativos e saudáveis neste novo turbilhão de fatos que mais parece filme do que vida real.

O primeiro impacto: lidando com a aceitação da notícia

girl 4967210 640
o primeiro impacto da quarentena

Segundo a Wikipedia, a doença foi identificada pela primeira vez em Wuhan, na província de Hubei, República Popular da China, em 1º de dezembro de 2019. Passamos o Natal, Ano Novo e até mesmo o Carnaval, ouvindo falar do coronavírus pelo mundo como algo distante.  E parecia que nunca  estaria tão perto de nós, até que de fato chegou e se alastrou bem rápido.

A primeira vez que tive a certeza de que era real, o nosso Governador já havia decretado oficialmente a quarentena aqui em São Paulo. Contudo, eu que prestava serviço para uma empresa de eventos gastronômicos, vi um a um,  todos os eventos serem cancelados. Parecia um filme, algo que não tinha como acontecer na vida real e a única coisa que me passava pela cabeça era: como que um pequeno vírus pode causar tanto caos em um período tão curto de tempo? E a única coisa que me veio à cabeça foi: faltou planejamento.

Muitas pessoas e organizações não estavam preparadas para enfrentar uma pandemia desse tamanho. E eu não digo apenas financeiramente, mas principalmente, psicologicamente. Claro que me incluo nessa situação e, assim como os demais, de um dia para o outro, precisei aceitar que não estávamos preparados, mas com a certeza de que seguir adiante e nos manter de alguma forma ativos era a única saída.

1- Não podemos parar o sentido da vida que é para frente

E a palavra da vez foi ação, mas como agir em um mundo que parou? A real é que o mundo nunca para, sempre terá alguma coisa para fazer e o trabalho sempre continuará a existir. O que muda é o formato, a distribuição, afinal de contas, continuamos comendo, bebendo e nos vestindo e o sentido da vida é para frente.

A vida de fato seguiu, o trabalho continuou, aliás aumentou. A gente  passou a trabalhar bem mais do que trabalhava antes, pois trabalhamos on-line e a procura por esses serviços aumentou consideravelmente. Se, de um lado não tinha demanda por eventos presenciais, por outro corremos atrás para criarmos um novo produto a ser consumido.

Para quem não sabe, eu fazia pós-graduação e estava às vésperas de entregar o trabalho de conclusão de curso, as aulas seguiram tranquilamente, aliás, enlouquecidamente, pois só quem faz, sabe da dor e da alegria que é esse processo.

Embora as coisas estivessem funcionando quase que normalmente, parece que  a gente carrega um medo quase que infantil de uma série de coisas que na correria do dia a dia a gente não percebe, a gente se deixa levar. Porém, o isolamento diário, quase que consigo mesmo, bate à porta e nos permite refletir sobre uma série de fatos que já estavam na sua cabeça, meio de forma desconectada, mas que, por alguma razão, precisam se tornar informação.

2- Mais reflexão é igual a mais aprendizado

footer bg
Oportunidade de se reconectar com você mesma

E foi aí que comecei a pensar na quarentena, como uma oportunidade de olhar as coisas de fora e na importância de muitas pequenas coisas que eu deixei de fazer. Comecei a perceber o quanto essas pequenas coisas começaram a pesar durante o caminhar nesta quarentena. Foi então que eu acabei chegando a algumas conclusões:

3- A importância da meditação no processo da vida

A meditação foi uma das coisas que entrou de fato na minha vida como um exercício diário. Entender as mudanças que estavam acontecendo e, principalmente, aceitar como parte de um processo evolutivo foi difícil, doloroso, mas muito gratificante.

Mapear erros e acertos e saber o que de fato desejo para minha vida foram benefícios que me permitiram encontrar novas saídas tanto na vida pessoal, como profissional.

Esse tempo reservado para meditar é o momento onde você pode entender o porquê sua vida estar como está e como fazer para mudar. Acredite, de fato a meditação pode trazer uma vida mais saudável e pode ajudar a encontrar a positividade, necessária para continuar seguindo em frente.

4- É necessário Fechar Ciclos

Todas as pessoas foram impactadas pela pandemia e muito provavelmente você deve ter alguma coisa travada à espera da vacina chegar. Mas, será que a culpa é totalmente da pandemia? Será que você não procrastinou até que a covid-19 veio e não teve mais como seguir em frente?

No meu caso, cheguei à conclusão de que ambas as respostas poderiam estar corretas. E foi aí que eu entendi a importância de fechar ciclos. Estar com a vida resolvida e preparada para eventuais problemas é importante e necessário para conseguir se manter de pé, independente das eventuais adversidades que a vida te colocar.

5- Feito é Melhor do que Perfeito

Na maioria das vezes esperamos o momento certo, a qualidade perfeita, a situação financeira ideal para colocar um projeto em ação e esse dia nunca chega.

Aprendi a duras penas que a ideia de perfeição está nos olhos de quem vê. E de verdade, o que é perfeito para mim, muitas vezes não é o ideal para você.

De repente, em algum lugar eu vi esta frase: “Antes feito do que perfeito” e, desde então, a carrego comigo, virou o meu lema de vida.


Esse blog que você está lendo não é perfeito, mas saiu do papel e tem como missão, inspirar as pessoas a encontrar uma forma de viver fazendo aquilo que gosta e adotar um novo estilo de vida mais leve e feliz.

6- Menos é Mais

Pode parecer clichê, mas de fato menos é mais, quanto mais coisas acumulamos em nossa vida, maior o tempo que precisaremos dispor para dar manutenção a elas.

Nesta quarentena estou aproveitando para separar o que não uso mais e tentar me organizar para ter menos coisas e, consequentemente, menos pratos para equilibrar.

Agora me diga você, qual o aprendizado que você já conquistou nesta pandemia?

Hellen Bispo

Sou focada em resultados e sempre busco a performance em minhas ações, carrego a praticidade no meu DNA e acredito que o menos é mais cabe em todas as situações. Atuo no mercado digital há mais de 10 anos, sou formada em Publicidade e Propaganda pela Uninove, Pós-Graduada em Comunicação e Marketing pela USP e Aluno Especial de Mestrado em Comunicação Cognitiva. Especialista em Links Patrocinados pelo Google e Marketing Performance pela Universidade do Vale do Silício, Udacity.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.